1º O que é A Terapia da Linha do Tempo?

Sua "linha de tempo" é como você inconscientemente armazena suas memórias ao longo de direções espaciais em relação ao seu corpo. Certas pessoas falam de ''ter o tempo ao seu lado'', "de ver um futuro brilhante à frente'', ou de "ter um passado às costas". Isto indica uma posição espacial para o tempo e para as memórias. Em 1985, o hipnoterapeuta norte americano, Tad James, integrou os conceitos de Linha do Tempo de William James e da Perspectiva Temporal das Emoções de Leslie C. Bandler, com a incorporação da linguagem desenvolvida pelo criador da moderna Hipnose Clínica, Milton Erikson. O resultado foi um conjunto de técnicas que permitem transformações profundas em um curto espaço de tempo.

2º Quais os tipos mais comuns de Linhas do Tempo e suas implicações na personalidade e padrões de comportamento?

A linha do tempo é uma representação mental. Quando você pensa em algo do seu passado ou sobre algum objetivo futuro, essa informação sai de seu "lugar" na linha do tempo, em algum ponto ao redor do seu corpo, e vem para sua tela mental. É na tela mental que você tem consciência do que está pensando. Enquanto as memórias estão na linha do tempo e você está no aqui e no agora, elas estão inconscientes.

Cada pessoa possui suas direções para o passado e para o futuro, e elas variam de pessoa para pessoa. Por isso existe um número enorme de tipos de linhas do tempo. No entanto, dois tipos clássicos de organização do tempo têm características peculiares. São as linhas denominadas "no tempo" e "através do tempo''. De maneira bem interessante, cada linha dessas define um tipo de personalidade ou de padrões comportamentais.

Pessoas com linha clássica "no tempo" têm a linha do futuro bem a sua frente e o passado atrás de si, com o agora posicionado dentro do corpo. É uma linha única de trás para frente. As pessoas com esse tipo de linha vivem mais o presente. Não se interessam muito pelo futuro e o passado é algo que já passou, ficou para trás, literalmente. Normalmente impontuais e aversas a planejamentos, preferem lidar com a vida do modo como ela vai se apresentando. Tendem a se adaptarem ao ambiente e as circunstâncias e se sentem confortáveis em se envolverem com várias coisas ao mesmo tempo. Entregam-se mais no nível afetivo, por viverem mais o presente. A linha clássica "através do tempo" é uma linha horizontal totalmente à frente dos olhos da pessoa. O futuro está de um lado, o passado de outro e o agora à sua frente. Pessoas com esse tipo de linha vivem fora da corrente do tempo. Com os acontecimentos guardados à sua frente elas vão com facilidade do passado ao futuro. Tendem a viver menos intensamente os sentimentos e as sensações. São mentalmente observadoras das coisas que estão acontecendo com elas, e por isso tendem a parecer mais frias e distantes das outras pessoas. Criam um ambiente em torno de si que seja estruturado, agendado, planejado e controlado. Para elas, situações indefinidas ou ambíguas são condições mais difíceis de lidar.

Nota importante: Uma das coisas que a Terapia da Linha do Tempo (TLT) faz é dar flexibilidade à pessoa. Ela pode escolher a linha de acordo com o lugar ou momento que esteja vivenciando. Por exemplo: um gerente pode ter uma linha "através do tempo" para trabalhar. Mas, quando chega em casa, sua linha passa a ser "no tempo". Assim, em família, ele pode ter uma vida descontraída, de contato mais íntimo com as pessoas e, no trabalho, uma vida administrativa, voltada para o planejamento, mas, distante emocionalmente dos fatos. Essa mudança é uma aprendizagem onde através da TLT, a pessoa é auxiliada a limpar toda uma série de eventos negativos ou traumáticos de sua vida, que poderiam está fixando comportamentos ineficientes e mantendo a pessoa presa numa determinada estrutura de linha de tempo. O aprendizado consiste em fazer com que o inconsciente mude adequadamente de uma para outra linha.

3º Como se processa a Terapia da Linha do Tempo?

Imagine que uma pessoa, ao longo de sua vida, teve muitas experiências caracterizadas por uma mesma emoção negativa, tais como: raiva, tristeza, medo ou culpa. Imagine, então, que o conjunto de experiências marcadas por uma mesma emoção negativa seja um colar de contas e que o fio que as une seja a emoção. As várias experiências estão unidas entre si pela tristeza. Se existe uma experiência em que você sentiu culpa e tristeza, ela pertence a dois "colares" de emoções: o da tristeza e o da culpa. Para limpar toda rede de tristeza procura-se o que chamamos de causa-raiz, ou a primeira experiência em que se teve àquela emoção, e que criou no cérebro a rede de interligações relativas a ela.

A TLT faz o cliente voltar, através de sua linha de tempo, diretamente à primeira experiência de tristeza de sua história, (a qual pode estar localizada em alguma fase de sua vida atual, na vida intra-uterina, em alguma memória genética ou numa "vida passada"). Lá, ele aprende, com a maturidade de hoje, aquilo que não aprendeu na ocasião. E através de um processo de mudança de referencial temporal, pode fazer com que a experiência perca seu significado emocional. É como se você puxasse o fio que une todas as contas do colar. Elas ficam soltas, sem emoção, restando apenas o aprendizado. Limpando a história emocional negativa, toda sua estrutura se abre para os sentimentos positivos que antes estavam bloqueados.

4º Porque tendemos a acumular emoções negativas em nossa história pessoal?

Uma das fantasias das pessoas é que, se não tiverem raiva, não conseguirão se defender ou, se não tiverem medo, não conseguirão se proteger. O que realmente defende e protege as pessoas não é a raiva ou o medo, mas o instinto básico de lutar ou fugir. A raiva vem depois da eventual decisão de lutar, e o medo, depois da decisão de fugir. Nenhuma terapia pode mexer nisso. O que acontece, porém, é que a raiva ou o medo presente nas pessoas impedem o melhor desempenho do fluxo de energia interna, além de atrair, como um eletroímã acontecimentos repetidos com a mesma vibração. No processo de limpeza, o que se faz é desobstruir os canais energéticos emocionais do corpo permitindo que, se o momento é de lutar, que se lute mesmo ou, se o momento é de fugir, que realmente se fuja, sem que a emoção negativa bloqueie essa decisão.

Nota importante: As experiências são os exercícios que a vida nos traz para aprendermos suas lições. Algumas experiências dão certo e nos sentimos bem. Elas são incorporadas ao nosso acervo de conhecimentos e crescemos um pouco mais com cada uma. Outras dão um resultado diferente do esperado, e aí, pensamos que não fomos felizes com o que aconteceu. Pensando assim, criamos sentimentos negativos vindos da frustração ou da incapacidade de lidarmos adequadamente com o fato. Estes sentimentos dificultam olhar com tranqüilidade o que está acontecendo. E por não entendermos em profundidade o que ocorreu não tiramos as lições ou aprendizados necessários para vida. A partir de então, a memória permanece guardada com o registro dos sentimentos pensamentos e decisões negativas do momento tido como traumático.

E agora vem a noção que mais aprecio nisto tudo: os sentimentos desagradáveis estão lá como um sinal de que há aprendizados a serem realizados. Emoções como tristeza, raiva, medo ou culpa, associadas às memórias, indicam que há experiências abertas em seu passado, momentos de sua vida em que você não aprendeu o suficiente. A partir daí, o inconsciente, de vez em quando, deixa que essas emoções arquivadas aflorem ao consciente ao longo de sua vida, para que você feche experiências antigas através do aprendizado. Cada vez que você sentir emoções desagradáveis em momentos "impróprios", senti-las nos dramas de relacionamentos e nas experiências que geram insatisfações, ou quando você sentir essas emoções de uma forma muito intensa pense que sua mente inconsciente está gritando: "Atenção, há memórias na sua vida que você precisa limpar! Para viver esse momento que você está vivendo agora, precisa aprender certas coisas que não aprendeu nas experiências anteriores. Aprenda logo para que você cresça e vá em frente!"

Você pode extrair o aprendizado sozinho ou através da ajuda terapêutica da TLT. Mas, lembre-se: uma emoção negativa que permanece é um sinal que sua vida está parada em algum patamar. É uma evidência que você não vai crescer naquela área enquanto o aprendizado não for realizado. Considere isto: se você não retira as lições e compreensões de sua vida, nenhum tempo vai curar suas feridas.

6º Exemplos de aplicações da Terapia da Linha do tempo:

Na neutralização de memórias desagradáveis ou traumas; anulação do efeito de emoções como tristeza, raiva, medo e culpa; reestruturação de crenças limitantes; reorganização interna de estados de confusão e indecisão; alinhamento psicológico em direção a metas e objetivos; tratamento para alívio de sintomas de doenças; alívio rápido de estados de depressão reativa; tratamento de desequilíbrios emocionais e baixa auto-estima e na programação de experiências futuras.

rubiapcarvalho@ig.com.br - rubiaprado@oi.com.br
fones: (81) 3224-5524 - (81)3224-6715 - (81)87416715